O inglês e a carreira na aviação

Você já deve ter ouvido falar que ter inglês é “um diferencial” no curriculum de um profissional. Esta afirmação já não é mais válida para os dias atuais, onde o inglês deixou de ser um “diferencial” e passou a ser considerado um item básico e indispensável no curriculum dos pilotos que desejam ascender em suas carreiras, seja na aviação executiva ou comercial.

Se analisarmos os requisitos mínimos estabelecidos pelas companhias aéreas nas últimas seleções, vamos observar que o famoso “ICAO 4” está presente em todas elas, sem exceção! Portanto, não há outra saída, ou o piloto tem no mínimo o ICAO 4 ou a sua carreira ficará estagnada em determinado momento.

Vou contar um exemplo rápido, que ocorre com certa frequência. Imagine dois pilotos, sem fazer o julgamento do conhecimento e experiência de cada um deles, considere apenas os seus curriculum de forma objetiva. Um destes pilotos possui o PC/MULTI/IFR e 5000 horas de voo, mas não tem o “ICAO” (como se diz no dia a dia para se referir à prova de proficiência linguística da ICAO aplicada pela ANAC). O outro piloto possui o PC/MULTI/IFR e 500 horas de voo, ou seja, apenas 10% das horas de voo do primeiro piloto, mas tem o ICAO 4.

Qual desses pilotos você acha que teria mais chance de participar de um processo seletivo numa empresa aérea? Pois é meus amigos, pode parecer estranho num primeiro momento, mas o segundo piloto citado no exemplo do parágrafo acima é o teria os requisitos mínimos para participar de um processo seletivo, o piloto mais experiente provavelmente não seria nem convidado a participar do processo inicial.

Concordando ou não com esta atual situação, que torna o inglês praticamente obrigatório, temos que concordar que não dá mais para negligenciar o conhecimento da língua inglesa em nossa área. Falando de forma mais prática, posso dizer aos pilotos que estão iniciando na carreira que atualmente não tem mais jeito, ou você tem inglês ou vai começar a ficar para trás em determinado momento.

O que fazer então? Estudar!
Conversando com colegas que são professores de inglês, perguntei quanto tempo em média um aluno demora para sair do “zero” e chegar num nível aceitável. A resposta foi que em média leva-se 3 anos, com um estudo regular e intenso, para atingir um nível satisfatório. Se nós analisarmos o tempo médio de formação de um piloto vamos encontrar também uma média de 3 anos. Portanto, se o aluno começar a estudar inglês no dia em que ele iniciou seus estudos para Piloto Privado, muito provavelmente conseguirá chegar ao final de sua formação aeronáutica básica em condições para realizar a prova de inglês e tirar o bendito do ICAO 4.

Claro que os tempos citados acima são uma média, tem alunos que apresentam mais facilidade e poderão encurtar bastante este tempo. Mas para generalizar o assunto, estes 3 anos seriam uma boa média para considerarmos.

Peço desculpas se fui tão enfático sobre este tema, mas o que me levou a fazer uma abordagem um pouco mais firme sobre o tema foi o fato de já ter presenciado vários colegas, muito competentes, perdendo boas oportunidades na aviação pela falta do inglês.

Dito isso, agora é focar nos estudos que tenho certeza que o inglês muito em breve deixará de ser este bicho de sete cabeças que tanto nos assusta!

DENIS BIANCHINI

Iniciou sua carreira na aviação em 1998 e desde então acumulou aproximadamente 9.000 horas de voo. Atualmente trabalha como comandante de Boeing 737Ng. Paralelamente à aviação colabora na administração das empresas eBianch, Editora Bianch e Bianch.com, das quais é fundador. É também autor de diversos livros de ensino para pilotos.

COMPARTILHE:

ARTIGOS MAIS RECENTES DESTE AUTOR: