A Altura Geoidal presente nas Cartas de Aeródromo (ADC)

O que é a Altura Geoidal presente nas Cartas de Aeródromo (ADC), confeccionadas pelo DECEA?

 

Primeiramente devemos entender que a Terra pode ser representada de duas maneiras:

– Elipsóide: Considera a esfera terrestre da forma com que aprendemos nos livros de geografia, achatada nos pólos e sem irregularidades naturais (relevos, montanhas, dentre outros). Por desconsiderar tais deformações, esta representação, é utilizada para fins de cálculos na confecção de cartas e na definição de coordenadas geográficas.

– Geóide: Ao contrário de como a elipsóide é definida, esta representação define a esfera terrestre de forma irregular. A linha da geóide segue o contorno do nível médio do mar, que é diferente ao redor do planeta, devido a facilidade com que a água tem de se moldar a superfície marítima (irregular) pela gravidade.

 

 

A altura geoidal é, justamente, a diferença entre a linha do geóide e do elipsóide. Esta altura é positiva quando o geóide esta acima do elipsóide ou negativa quando o geóide está abaixo do elipsóide. Nas cartas ADC, é apresentada em metros.

É interessante ter uma base destas informações, pois a altitude que é fornecida no GPS, é a altitude geométrica, ou seja, utiliza como referêncial a linha do elipsóide (sem irregularidades).

Já a altitude fornecida pelo altímetro de bordo das aeronaves, é a altitude ortométrica, que utiliza o nível do mar (geóide) como referêncial.

Em SBSL – Aeroporto Internacional de São Luís no Maranhão, a altura geoidal da pista 06, é de menos 24,59m, que é equivalente a aproximadamente menos 82ft de diferença entre a indicação no altímetro de bordo e o altímetro do GPS.
A altura geoidal sendo negativa, chegamos a conclusão que neste aeródromo, a linha da geóide esta abaixo da elipsóide. Lembrando que a tolerância máxima de erro altimétrico em voo IFR é de 75 pés. O que, neste caso, estaria fora dos parâmetros recomendados se o piloto estivesse seguindo a indicação de altitude mostrada pelo GPS, sem realizar a correção.

Pelo fato desta discrepância, apresentar por vezes valores consideráveis em algumas regiões do globo, podendo chegar a 300ft em determinadas áreas. Nas cartas de rota (ENRC) confeccionadas pela Jeppesen, é fornecido tanto a altitude mínima de rota (MEA), quanto a altitude mínima de rota GPS (MEA-GPS). Nestas cartas, a MEA é expressa em número simples, como por exemplo: 12000, 10000. E a MEA-GPS é expressa com a letra “G” de GPS, no ao lado da altitude indicada na carta, como segue: 13000G, 8000G.

Sempre que formos utilizar como referência a altitude fornecida pelo GPS, devemos nos atentar a altura geoidal no aeroporto de operação, com o intuito de corrigir tais discrepâncias.

 

FABIO MARTINELLI

Fabio é Piloto Comercial e Instrutor de Voo.
É também um dos professores mais ativos da eBianch, responsável pela criação de conteúdo relacionado à navegação aérea e a operação das aeronaves Cessna 152 e 172.

COMPARTILHE:

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on print
Print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *