Rejeição de decolagem em aviões de pequeno porte

Tempo de leitura: 3 minutos

Rejeitar a decolagem é um procedimento que sempre está na cabeça dos pilotos, sendo treinados desde o início no curso de piloto privado para lidar com essa situação. Nesse texto conheceremos os principais motivos que podem levar a um interrompimento da decolagem e observações gerais.

Principais motivos de rejeição

  • Perda de RPM
  • RPM abaixo do esperado para rolagem
  • Aceleração inadequada por algum motivo
  • Velocímetro sem indicação (por isso call-out ‘’Airspeed Alive’’)
  • Porta aberta
  • Obstáculo na pista (incursão de pista)
  • Instrumento(s) fora do arco verde
  • Vibrações excessivas
  • Barulhos estranhos
  • Perda do eixo da pista 
  • Instrução da torre
  • Fogo
  • Qualquer outro motivo que o piloto achar relevante

Como podemos observar, diversos motivos podem causar uma rejeição de decolagem. Por isso é importante tê-los em mente e sempre brifar esse procedimento durante o taxi.

Nem sempre temos certeza do que está acontecendo, às vezes não são claros os motivos de uma rejeição, caso haja dúvida sobre continuar ou não a decolagem, aborte e retorne ao pátio para checar a aeronave.

É melhor ter dúvida em solo do que em voo!

Em geral, se ainda não decolou, a melhor escolha é sempre rejeitar a decolagem em caso de qualquer anomalia, apenas decole se o problema for pequeno e possa ser resolvido em voo, como porta aberta.

Desde que corretamente planejada e executada a rejeição, nenhuma ação extraordinária deve ser necessária para parar a aeronave. 

Entretanto tome cuidado com frenagem excessiva, pois quanto maior a velocidade da aeronave, maior a chance de perder o controle em solo, pois estando mais perto da VR, menos peso sobre as rodas está sendo exercido devido a sustentação sendo gerada, além da possibilidade de estouro de pneu e/ou travamento da roda. Portanto freie somente o necessário, naturalmente observando quanto se tem de pista ainda.

Após a decisão de abortar, não se apresse em sair da pista, comunique o ocorrido na frequência ou a torre, peça ajuda se necessário e faça tudo com calma.

Dica 50/70: se a aeronave não atingiu 70% da velocidade de rotação até 50% do comprimento da pista, aborte. Em aeroportos de uso frequente defina um auxílio visual para saber esse ponto, como um hangar, alguma edificação etc.

É importante ressaltar que essas informações são GENÉRICAS, com o intuito de informar brevemente sobre essa ocorrência. Lembre-se sempre de consultar o manual da aeronave.

Referências

Para mais informações sobre a dica 50/70 leia https://www.boldmethod.com/learn-to-fly/performance/how-to-use-the-50-70-rule-of-thumb-for-your-takeoff-this-summer/

https://www.boldmethod.com/learn-to-fly/maneuvers/rejected-takeoff-how-to-safely-stop-on-the-runway-and-taxi-exit/