9 indicativos que o motor a pistão está prestes a falhar

Tempo de leitura: 4 minutos

A perda de motor sempre será uma pane crítica, principalmente se o avião for monomotor e ocorrer durante a decolagem. Nesse texto conheceremos os principais indicativos que o motor a pistão está prestes a falhar e como evitar situações como essa, ajudando assim a identificá-los com maior agilidade para que possam ser tomadas medidas o mais rápido possível e de maneira mais sábia, aumentando a possibilidade de um pouso em segurança.

Principais indicativos

  • Baixa pressão do óleo, se a pressão estiver caindo, poderá ser uma linha de óleo rompida ou vazando, falha no indicador, mau funcionamento do regulador de pressão, etc.
  • Alta temperatura do óleo, normalmente ocorre quando não há óleo suficiente, o que tem está circulando muito rápido e não está conseguindo ser resfriado. Outros motivos podem ser: obstrução do radiador, falha no indicador, vedações do defletor inadequadas ou danificadas, etc.
  • Queda no fluxo de combustível, pode ser um problema na bomba de combustível, válvula ou vazamento na linha, o item mais comum nos checklists é ligar a bomba auxiliar para reintroduzir combustível adequadamente pressurizado no sistema, caso o fluxo não aumente o motor irá parar por falta de combustível.
  • Falta de combustível, esquecer de trocar o tanque é o mais comum motivo de falha de motor.
  • Funcionamento áspero do motor, vários podem ser os motivos, porém os mais comuns são: peças danificadas, formação de gelo no carburador e/ou incorreto gerenciamento da mistura. Tente solucionar o motivo, caso não consiga, pouse o mais breve possível.
  • Perda de RPM ou pressão no indicador de pressão de admissão, numa aeronave que tenha carburador, significa formação de gelo, se não abrir o ar quente o gelo poderá acumular até o motor parar.
  • Aumento de pressão no indicador de pressão de admissão em motores aspirados e com passo de hélice variável pode indicar que o motor está prestes a falhar ou já está falhando. Com uma falha do motor, essa pressão começará a subir até a pressão ambiente, ex.: se está voando com 22 pol de pressão em condições padrão, a pressão subirá para 29,92 pol (1013 hPa), o inverso ocorre em motores superalimentados.
  • Vazamento visível de óleo, fogo ou fumaça.
  • Falhas catastróficas como peças se soltando, pistão sair voando, vibração excessiva causando destruição, etc.

Como podemos observar, diversos motivos podem causar a perda de motor em voo. É importante tê-los em mente e sempre brifar o procedimento para perda de motor.

Além de uma manutenção adequada, verificar detalhadamente a condição do motor durante a inspeção pré-voo, check após acionamento e no ponto de espera são procedimentos importantíssimos para evitar sustos durante o voo.

Esses cheques se tornam repetitivos e automáticos, ocasionando às vezes em problemas passando despercebidos, portanto, faço-os sempre com muita atenção. Diversos acidentes fatais já ocorreram por condições na aeronave que não foram devidamente avaliadas e/ou se quer percebidas pelos pilotos antes do voo.

Caso esteja incerto sobre a melhor atitude a tomar ou se seguiu corretamente o procedimento, consulte o checklist, mecânico ou em caso de taxi ou voo, retorne e tenha a aeronave verificada, é melhor ter dúvida em solo do que em voo!

É importante ressaltar que essas informações são GENÉRICAS, com o intuito de informar brevemente sobre essas ocorrências. Lembre-se sempre de consultar o manual da aeronave.

Referências

https://www.boldmethod.com/blog/lists/2017/07/9-signs-your-engine-is-about-to-fail/

Manual de operação de aeronave com motor a pistão (Piper Cherokee)