Conheça o DC-3 com motor a turbina!

O Douglas DC-3 foi uma aeronave revolucionária durante os anos 1930 e 40, juntamente com sua versão militar, C-47 Skytrain, que teve grande importância durante a Segunda Guerra Mundial.

Curiosamente, apenas 607 unidades da versão civil foram construídas, de 1936 a 1942 e em 1950. Entretanto, foi a versão militar que foi fabricada aos milhares devido a guerra, com impressionantes 10.174 unidades produzidas.

Com o fim da guerra em 1945, muitas dessas aeronaves DC-3 e C-47 foram doadas ou compradas das forças armadas por valores baixíssimos, possibilitando a criação de diversas companhias aéreas que expandiram a aviação civil mundial nos anos seguintes, principalmente em rotas regionais.

Nesse texto conheceremos mais detalhadamente o Basler BT-67, uma versão do DC-3 com motores turboélice.

Com o passar do tempo as aeronaves vão sendo substituídas por novos modelos, porém existem aviões tão bem projetados e construídos como o DC-3 que mesmo que décadas após o seu primeiro voo continua sendo utilizado até hoje, tornando-se a única aeronave do pré-guerra ainda em operação.

Como nenhuma outra aeronave disponível no mercado tinha a capacidade do DC-3/C-47 de operar em locais complicados como Ártico, Antártida, regiões montanhosas etc., a empresa Basler Turbo Conversions desenvolveu uma versão chamada BT-67 para suprir as novas necessidades das operadoras, aumentando consideravelmente a vida útil do modelo original.

Os principais fatores que levaram o DC-3/C-47 a ser atualizado foram: os dois motores radiais Twin Wasp eram extremamente antigos, pouco econômicos, de difícil manutenção, baixa disponibilidade de peça no mercado e aviônica obsoleta.

Com esses problemas em mente, a Basler começou a reconfigurar o Douglas a partir das especificações do cliente, que podem ser para transporte de carga, passageiros, gunship (versão de ataque ao solo utilizada pela Colômbia por exemplo) etc.

O processo começa com uma inspeção completa da estrutura e sistemas para ter ciência da condição da unidade, após isso inicia-se a conversão em si, com a parte central e mais externa da asa sendo reforçada, ponta da asa e bordo de ataque modificados com um formato mais aerodinâmico, fuselagem alongada em 35 centímetros, aumentando o espaço interno, novos motores turboélice PT-6 mais potentes, muito mais confiáveis, eficientes e silenciosos, novo sistema hidráulico, elétrico, de combustível, aviônica, de-ice etc. com diversas das peças utilizadas sendo fabricadas localmente.

Uma questão interessante que também ocorre no Brasil é a falta da gasolina de aviação em muitos lugares, dificultando consideravelmente a operação. Com a utilização de motores turboélice, o qual consome querosene, a operação torna-se muito mais viável, pois esse combustível está disponível na maioria dos aeroportos e é mais barato do que a gasolina de aviação.

Durante a conversão, que geralmente dura 6 meses e consome 45.000 horas de trabalho, a aeronave é restaurada para uma condição praticamente nova, podendo ser vendida como uma aeronave nova, custando em torno de 8 milhões de dólares.

Abaixo temos as principais características dessa nova versão:

  • Aproximações mais estáveis, com velocidade menor devido às melhorias aerodinâmicas permitindo operação em pistas mais curtas ainda
  • Velocidade de cruzeiro de 210 nós, 65 nós acima do original
  • Aeronave mais leve devido ao uso de novos materiais e motores
  • Maior peso máximo de decolagem de 13.607 kg
  • 43% mais espaço interno
  • Alcance de 1.759 km, um pouco menor que o original pois os novos motores são mais potentes e consomem mais, porém há uma opção de longo alcance com a instalação de mais tanques de combustível, possibilitando mais de 100% de aumento no alcance original

Como podemos observar, essa nova versão tem muito a entregar e felizmente poderemos ver o DC-3/C-47 voar por muitos anos.

 

DC-3/C-47 original
Basler BT-67
Basler BT-67
Operação com skis na Antártida
Operação com skis na Antártida
Desenho original e modificado
Desenho original e modificado